Ações no PARNA Saint-Hilaire/Lange viram documentário

Uma das estratégias de divulgação das unidades de conservação (UCs), e consequentemente da importância destas para a sociedade, é utilizar ferramentas audiovisuais para mostrar suas histórias, potencialidades turísticas e biodiversidade. Dentre os formatos mais utilizados, destacam-se os vídeos, documentários e reportagens televisivas.

Com este objetivo, Péricles Augusto dos Santos, estudante do curso de graduação em Gestão Ambiental na Universidade Federal do Paraná (UFPR) – Setor Litoral, desenvolveu um documentário sobre o Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PHSHL). Este documentário fez parte do seu trabalho de conclusão de curso (TCC): “O Uso de Recursos Audiovisuais como Estratégia de Sensibilização Ambiental: Um Vídeo Sobre a Torre da Prata no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange”.

Com o título “Na Trilha da Conquista”, o documentário de 30 minutos mostra a história da conquista da Torre da Prata (atrativo do parque), ocorrida em 1944, e a abertura da trilha usada atualmente na subida da montanha (em 1966). Também são abordadas as atividades de ordenamento do uso público e de pesquisas científicas realizadas na UC recentemente. A conquista pessoal de Péricles em subir a montanha também é mencionada na produção.

O documentário foi exibido para a banca avaliadora e o público presente à apresentação do TCC de Péricles, no dia 14 de agosto, na UFPR Litoral, em Matinhos (PR) . Depois, o autor falou sobre o processo de produção do documentário, argumentando que o trabalho tem como principal objetivo ser um material de apoio na sensibilização da população quanto à importância do PNSHL.

Péricles, autor do documentário, apresentando o trabalho. Foto: Charlotte Couto Melo

Péricles, autor do documentário, apresentando o trabalho. Foto: Charlotte Couto Melo

Após a apresentação do estudante, a banca fez ponderações e sugestões de aperfeiçoamentos. O analista ambiental do PNSHL, Rodrigo Filipak Torres, fez parte da banca do trabalho e comentou que este tipo de iniciativa – produção de materiais audiovisuais – é muito importante para o parque, e deveria ser melhor explorada pelos órgãos gestores das UCs no Brasil.

A produção do documentário teve a orientação da professora Liliani Marília Tiepolo, da UFPR.

O trailer do documentário pode ser conferido em: http://vimeo.com/70988366

*Em tempo: o documentário acaba de ser selecionado para o Rio Mountain Festival 2013 – 13ª Mostra Internacional de Filmes de Montanha, na categoria “Natura Doc” (filmes de natureza ou de proteção ao meio ambiente).  A mostra acontecerá de 15 a 19 de outubro de 2013, no Rio de Janeiro. Parabéns, Péricles!!

.

Esta é a terceira vez que o PNSHL é abordado em uma produção audiovisual.
A primeira foi no documentário “Quem Acordou o Dragão?”, que fez um relato sobre os desastres ambientais de março de 2011 no litoral do Paraná, também afetando o parque.
Também produzido por Péricles, o vídeo “Na Trilha da Prata” fez a divulgação da implantação da sinalização na Trilha da Torre da Prata.

Dois projetos de pesquisa do PNSHL concluíram suas atividades de campo em julho

Parte da equipe que participou da última etapa das pesquisas em julho. Foto: Acervo PNSHL

Parte da equipe que participou da última etapa das pesquisas em julho. Foto: Acervo PNSHL

Dois projetos de pesquisa enfocando as aves silvestres que ocorrem no entorno e interior do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL) encerraram suas atividades de campo no dia 26 de julho. Estes estudos estavam sendo realizados desde abril de 2012.

Redes de neblina utilizadas para capturar as aves. Foto: Rodrigo Filipak Torres

Redes de neblina utilizadas para capturar as aves. Foto: Rodrigo Filipak Torres

O primeiro projeto, “Levantamento da avifauna em áreas com tipos distintos de uso e em áreas íntegras do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange, comparou a avifauna em seis áreas com diferentes tipos de impactos, próximas ao limite leste do parque, entre 10 e 260 metros de altitude. Nesta comparação foram utilizados os métodos de amostragem com redes de neblina (30 redes armadas por 5 horas durante cada dia, em um total de 5400 hora/rede) e pontos de escuta (160 pontos de 10 minutos considerando as aves registradas em um raio de 25 m).

Durante quatro etapas de campo, foram capturados, marcados e posteriormente soltos 2087 indivíduos de aproximadamente 98 espécies de aves. Além disso, foram registrados e gravados cantos de cerca de 120 espécies nos pontos de escuta. Dentre a avifauna levantada, foram encontradas espécies raras e espécies ameaçadas de extinção. Este projeto, financiado pelo ICMBio, através da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (DIBIO), foi coordenado pelo analista ambiental do PNSHL, Rodrigo F. Torres, e pelos professores e pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Luiz Augusto Mestre (Setor Palotina), Luciana Festti (Centro de Estudos do Mar) e Ricardo Krul (Centro de Estudos do Mar).

Martinho (Chloroceryle aenea), uma das espécies registradas. Foto: Rodrigo F. Torres

O outro projeto, realizado em conjunto com o primeiro estudo, investigou a “Influência da paisagem antrópica e das mudanças climáticas sobre a saúde e biodiversidade da avifauna na região do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange”, sendo coordenado pelo médico veterinário José Carlos Roble Júnior. Esta pesquisa analisou a saúde das espécies sabiá-coleira (Turdus albi­collis), tiê-da-mata (Habia rubica), flautim (Schi­ffornis virescens) e limpa-folha-coroado (Philydor atricapillus). A avaliação física realizada nos animais consistiu em um exame clínico, coleta de ectoparasitas (carrapatos e piolhos) e coleta de sangue para posterior identificação de hemoparasitas. Os dados coletados por José Carlos vão subsidiar sua dissertação de mestrado, que será defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Microbiologia, Parasitologia e Patologia da UFPR.

Estes estudos contaram com a participação de servidores do Parque, de inúmeros voluntários e a colaboração dos proprietários das áreas estudadas. As informações levantadas, que estão sendo sistematizadas e analisadas, servirão como base para a elaboração do Plano de Manejo do PNSHL.