Centro de pesquisas lança aplicativo para monitoramento de fauna silvestre atropelada

CBEE, Imagem de Divulgação

CBEE, Imagem de Divulgação

Segundo estimativas do Centro Brasileiro de Pesquisa em Ecologia de Estradas (CBEE), mais de 450 milhões de animais silvestres são atropelados por ano nas estradas do Brasil, ou cerca de 15 por segundo.

Buscando reduzir este quadro alarmante, o CBEE anunciou recentemente o lançamento do aplicativo chamado Sistema Urubu Mobile.

O Urubu Mobile pretende ser uma rede social com o objetivo de reduzir os impactos negativos de rodovia e ferrovias na biodiversidade.

Através deste aplicativo gratuito, espera-se que qualquer pessoa com smartphones ou tablets possa adicionar informações confiáveis e padronizadas sobre atropelamentos de fauna selvagem nas estradas do país ao CBEE. Ao encontrar um animal atingido, o usuário utiliza o aplicativo para fotografá-lo. A data, hora e coordenada geográfica do registro são automaticamente anexados à foto, e vão para o banco de dados do CBEE.

Como a ecologia de estradas é ainda muito recente no Brasil, carecem ainda muitas informações sobre o que acontece nas estradas do país. Pretende-se que os dados levantados com o sistema sejam utilizadas por grupos de pesquisa, órgãos governamentais, ONGs e outros segmentos da sociedade para planejamento rodovias e ferrovias e reduzir seus efeitos no meio ambiente.

Gato-Mourisco encontrado atropelado na PR-508. Foto: Rodrigo Torres

Gato-mourisco encontrado atropelado na PR-508
Foto: Rodrigo Torres.

O Sistema Urubu foi idealizado pelo CBEE e produzido com o auxílio dos departamentos de Ciência da Computação, Ciências Florestais e Biologia da Universidade Federal de Lavras – MG, além de parceria com a Tetra Pak, Fundação Grupo Boticário, TFCA/Funbio, CNPq, Fapemig e ICMBio.

O Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE) está sediado na Universidade Federal de Lavras, MG, e tem como meta ser um Centro de Excelência em pesquisa, capacitação, desenvolvimento de tecnologia e estabelecimento de políticas públicas em temas que relacionem empreendimentos viários (rodovias e ferrovias) e biodiversidade.

O professor Alex Bagel, coordenador do projeto, é o responsável pela pesquisa com as estimativas anuais de atropelamentos no Brasil. Estes dados são baseados em 14 artigos científicos publicados em diferentes revistas brasileiras e que foram realizados em vários biomas. As análises foram realizadas para cada estado brasileiro e para animais de pequeno, médio e grande porte. Os dados mostram que mais de 400 milhões são de pequenos vertebrados, cerca de 3 milhões de grandes vertebrados, e os demais de médio porte.

 

Links relevantes:

Portal do Centro Brasileiro de Ecologia em Estradas (CBEE)

Download do aplicativo no Google Play

 

Fontes:

O Eco – O Pesquisador que quer Salvar Animais com um Celular

O Eco – É tempo de urbuzar

Revista Terra da Gente – Aplicativo monitora acidentes com animais em vias brasileiras

Portal do Centro Brasileiro de Ecologia em Estradas (CBEE)

 

 

 

Caminhada na Natureza – Circuito Rio da Onça

A UFPR Litoral, através do projeto de extensão Construindo Alternativas de Turismo Extratemporaneo* realiza neste Abril, dia 12, a “Caminhada na Natureza – Circuito Rio da Onça”. O percurso de 10 km percorrerá vários atrativos turísticos de Matinhos, buscando unir a beleza das praias, uma comunidade pesqueira, reservas naturais, patrimônio histórico e centro urbano, em trechos de dificuldade leve. O evento foi criado para proporcionar ao caminhante a experiência de percorrer um trajeto em que a vida urbana e a natureza se confundem.

Cartaz de divulgação com mapa do percurso

Cartaz de divulgação com mapa do percurso

A caminhada acontecerá as 8:00 da manhã do dia 12 de Abril de 2014, com término às 14:00 da tarde. A saída será do SESC – Caiobá, endereço: Rua Dr. José Ribeiro Pinto, esquina com a AV. Atlântica, Matinhos – PR.

A caminhada é uma modalidade esportiva não competitiva, e como uma atividade física do tipo aeróbica oferece ainda outras vantagens: melhora a qualidade do sono, faz bem para os pulmões e o coração, fortalece os músculos, ajuda a minimizar as tensões e o stress, além de auxiliar na perda de peso. Cada caminhante faz seu próprio tempo, e são permitidas todas as idades.

ATENÇÃO:

Recomenda-se aos caminhantes o uso de protetor solar, repelente, roupas leve, e de preferência começar o percurso cedo, quando o sol e o calor ainda não estão muito fortes.

Inscrições GRATUITAS, via e-mail em: caminhadanatureza.litoral@hotmail.com (informar NOME e CIDADE).

*O circuito RIO DA ONÇA de caminhada na natureza foi organizado pelo projeto de extensão Construindo Alternativas de Turismo Extratemporaneo – UFPR LITORAL em parceria com Anda Paraná, a Sec. De Turismo e Desenvolvimento Econômico de Matinhos, IAP, Sanepar e SESC- Caiobá.

1010581_512167125559916_1262829831_n

Pico de Matinhos, trecho urbano-costeiro do percurso.

 

Mais informações:

Caminhada na Natureza – Circuito Rio da Onça
Grupo no Facebook
Evento no Facebook

 

 

Sobre o Parque Estadual Rio da Onça

1901930_512168088893153_515430900_n

Trilha do Parque Estadual Rio da Onça.

O Parque Estadual foi criado pelo Decreto Estadual n.º 3825 de 04 de junho de 1981, com uma área total de 118,50 ha, objetivando proteger a flora e a fauna. O parque possui 1660 hectares, sendo dotado de portal, trilhas interpretativas, pontes suspensas, centro de visitantes e mirante.

Preserva caxetas, brejos graminosos e restingas cobertas por guanandis, maçarandubas, palmitos e tiriricas, habitados por preás, gatos do mato e gambás. O Parque do Rio da Onça, é uma das 68 unidades de conservação do Paraná.

O acesso é feito pela PR 412, Balneário Riviera II – Matinhos.