Informações gerais

Criado em 23 de maio de 2001 por meio da Lei nº 10.227, o Parque está localizado no litoral do Paraná a apenas 100 km da capital do Estado, Curitiba, e a 40 km da cidade portuária de Paranaguá. Situa-se na porção sul da Serra do Mar paranaense, fazendo divisa com a baía de Guaratuba, com a planície litorânea e com o vale do rio Cubatãozinho, abrangendo regiões que variam de 10 metros sobre o nível do mar até as montanhas do maciço Serra da Prata, com altitudes superiores a 1.400 metros. Inserido na área-núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e na Área de Proteção Ambiental Estadual de Guaratuba, protege um dos trechos mais bem conservados de Mata Atlântica no país. Constitui ainda, pela sua posição geográfica e importância ecológica, um elo fundamental na composição do Mosaico dos Ecossistemas Costeiros e Marinhos do Litoral Sul de São Paulo e do Litoral do Paraná (Portaria MMA n° 150/2006) – forma de gestão integrada que visa compatibilizar a gestão da biodiversidade, a valorização da sociodiversidade e o desenvolvimento sustentável em um contexto regionalizado.

A região da Serra da Prata representa um dos últimos refúgios naturais da região, favorecendo a sobrevivência de espécies altamente especializadas, resultando em um alto grau de endemismo e abrigando diversas espécies da flora e da fauna ameaçadas de extinção. A vegetação é composta pela Floresta Ombrófila Densa (Floresta Atlântica) que é responsável pela manutenção do microclima da região, regulando o regime hídrico dos cursos d’água e garantindo a qualidade dos mananciais que abastecem o litoral do Paraná. As companhias de abastecimento de água operantes na região captam cerca de 800 litros de água por segundo em mananciais originados no PARNA de Saint-Hilaire/Lange, garantindo o abastecimento dos municípios de Matinhos, Pontal do Paraná e Paranaguá. A cobertura vegetal também previne contra a ocorrência de deslizamentos nas encostas, reduz a erosão e o assoreamento dos rios e das baías do litoral. Deve-se destacar ainda, os valores histórico-culturais da região que, aliados à biodiversidade e à belíssima paisagem montanhosa, resultam em alto potencial turístico, uma das atividades econômicas que mais cresce no mundo.

No PARNA de Saint-Hilaire/Lange estão representadas diversas unidades tipológicas da Floresta Atlântica: Floresta Ombrófila Densa Submontana, Floresta Ombrófila Densa Montana e Floresta Ombrófila Densa Altomontana, além dos Refúgios Vegetacionais (Campos de Altitude) e da vegetação secundária encontrada principalmente em regiões de baixa altitude onde as alterações promovidas pelas atividades humanas foram mais frequentes. São encontradas diversas espécies ameaçadas de extinção tais como Palmito Jussara (Euterpe edulis), Canela-preta (Ocotea catharinensis), Canela-sassafrás (Ocotea odorifera), Guassatunga (Casearia paranaensis), Xaxim (Dicksonia sellowiana), Guamirim (Myrcia tenuivenosa), além de um grande número de epífitas, com destaque para bromélias e orquídeas. Entre os representantes da fauna, merece destaque o pequeno anfíbio Brachycephalus izecksohni, espécie de anuro que mede cerca de 1,2 centímetros e é endêmica da Serra da Prata.   Também encontram refúgio no Parque Nacional: Jaguatirica (Leopardus pardalis), Lontra (Lontra longicaudis), Veado-Mateiro (Mazama sp.), Jacutinga (Aburria jacutinga), Tucano-de-bico-verde (Ramphastos dicolorus), Saíra-sete-cores (Tangara seledon), entre outros.

Sede Administrativa

Está localizada em Matinhos, à Rua das Palmeiras, n° 170 – Balneário Caiobá – próximo ao campus litoral da Universidade Federal do Paraná. Para visulizar no Google Maps, clique aqui.

Curiosidades:

O Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange foi a primeira Unidade de Conservação (UC) do país a ser criada por Lei.

O nome do Parque é uma homenagem ao naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire, que percorreu parte do Brasil na década de 1820, e ao biólogo e ambientalista paranaense Roberto Ribas Lange, falecido em 1993.

A logomarca do Parque foi criada em 2004 por alunos do Curso Superior de Tecnologia em Artes gráficas do CEFET. Os detalhes da escolha e a interpretação da imagem foram tema da postagem inaugural do blog, intitulada “A Marca”.

3 Respostas

  1. Parabéns pela página na internet.
    O ICMBio deveria adotar para todas as UCs.

    Trajano Gracia Neto
    Floresta Nacional de Irati PR

  2. Parabéns pela pagina (informações e desenho) e equipe por uma gestão de articulação com a comunidade

  3. Ótima pagina, com informações organizadas e claras. Parabens !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: