Na Trilha, documentário sobre PNSHL já está disponível

Na Trilha, documentário recém produzido por Péricles Augusto dos Santos, e tendo como tema o Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL), está disponível online para o público.

Para mais informações, leia a matéria sobre o documentário.

 

Incêndio no Morro do Escalvado

Área queimada vista do topo do Morro do Escalvado. Foto: Capitão Tavares

Área queimada vista do topo do Morro do Escalvado. Foto: Capitão Tavares

Ontem (15/10), por volta das 13:00 teve início incêndio no Morro do Escalvado, interior do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL), em Matinhos – PR.

Às 15:45 o fogo foi controlado pelo Corpo de Bombeiros, e por volta das 16:30 a operação foi encerrada, restando apenas o rescaldo final.

De acordo com testemunhas, três adolescentes (2 meninos e 1 menina), que subiram ao topo do morro antes, podem ter sido os responsáveis pelo início do incêndio.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a área queimada foi de aproximadamente 60.000 m2 (6 hectares), na face norte do morro, onde a vegetação é mais baixa e seca.

A equipe do PNSHL agradece a presteza do Corpo de Bombeiros e da Polícia Ambiental em atender o caso, e de toda a comunidade que nos avisou do incidente.

Bombeiros trabalhando para conter o incêndio. Foto: Péricles Augusto dos Santos

Homens do Corpo de Bombeiros trabalhando para conter o incêndio. Foto: Péricles Augusto dos Santos

ICMBio e parceiros fiscalizam o Parque Nacional e seu entorno

Nas últimas três semanas as atividades de fiscalização no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL) e seu entorno foram intensificadas, sendo realizadas inúmeras ações fiscalizatórias que resultaram em apreensões, prisões, autos de infração (multas) e um embargo.

No final de setembro, a Polícia Ambiental localizou três palmiteiros atuando no interior do PNSHL. Eles foram presos e encaminhados para a Polícia Federal, em Paranaguá. Em poder dos infratores foram encontrados duas espingardas, um pio de inambu (equipamento para atrair aves) e dois macucos (Tinamus solitarius), sendo que um deles ainda estava com vida e foi devolvido à natureza. Os três infratores relataram que cortaram aproximadamente 720 cabeças de palmito-juçara (Euterpe edulis), as quais já haviam sido transportadas para o beneficiamento, não tendo sido encontradas. Os infratores foram autuados pelo ICMBio por corte de palmito, caça de macuco (ameaçado de extinção no Estado do Paraná) e porte de instrumentos de caça dentro do Parque, e responderão a inquérito criminal na Polícia Federal. Outras duas pessoas do mesmo grupo – que teriam cortado mais palmito – não foram encontradas na mata.

Por determinação do Ministério Público Federal, o aterro de resíduos vegetais de Matinhos, sob a responsabilidade da Prefeitura Municipal, foi fiscalizado pela equipe do ICMBio, constatando-se que o mesmo estava operando em desacordo com a licença ambiental do IAP e causando impactos ao aspecto paisagístico e à fauna do Parque. Como resultado, foram emitidos dois autos de infração e realizado o embargo total do aterro – com posterior desembargo parcial.

Em parceria com a Polícia Ambiental também foi realizada vistoria no bairro Tabuleiro, no entorno do Parque, para verificar denúncia de ocupação irregular e desmatamento. As informações colhidas na vistoria foram repassadas às autoridades com jurisdição sobre a área.

Parque Natural Municipal da Lagoa do Parado. Foto: Arquivo PNSHL

Parque Natural Municipal da Lagoa do Parado, com vista do PNSHL ao fundo. Foto: Arquivo PNSHL

Já no último final de semana, foi realizada uma operação conjunta de fiscalização na região da Lagoa do Parado e baía de Guaratuba, envolvendo ICMBio, IBAMA, IAP e Polícia Ambiental. Este trabalho teve como objetivo verificar denúncias oriundas do Conselho Gestor da APA de Guaratuba de que no Parque Municipal da Lagoa do Parado, em Guaratuba, estaria havendo caça, retirada de palmito-juçara e pesca ilegal. O Parque Municipal da Lagoa do Parado é vizinho do PNSHL.

Como resultado geral, até o momento têm-se a emissão de oito autos de infração e de um termo de embargo pelo ICMBio, e a coleta de informações importantes para futuras operações de fiscalização.

Palmito-juçara apreendido pela Polícia Ambiental no entorno do PNSHL. Foto: BPAmb Guaratuba

Palmito-juçara apreendido pela Polícia Ambiental no entorno do PNSHL. Foto: BPAmb Guaratuba

Em outras ações de fiscalização, realizadas pela Polícia Ambiental em agosto e setembro, foram constatados diversos ilícitos ambientais no entorno do PNSHL, dentro da APA de Guaratuba. Foi descoberta uma fábrica clandestina de processamento de palmito, onde foram encontrados cinco galões plásticos com palmito-juçara cortado semi-industrializado, 52 cabeças de palmito-juçara in natura, e alçapões e gaiolas para captura de pássaros. Um dos envolvidos já tinha sido preso dias antes, com outras pessoas, devido ao transporte de 1059 cabeças de palmito em dois carros. Ainda em uma outra ação fiscalizatória, 700 cabeças de palmito-juçara foram apreendidas juntamente com a caminhonete que as transportavam.

Aqui na nossa região, denúncias ambientais fundamentadas e com o máximo de detalhes possível podem ser feitas – inclusive anonimamente – aos seguintes órgãos, de acordo com a localização do ilícito ambiental:

Se for dentro do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange: (41) 3452-6340 – ICMBio Matinhos

Se for fora do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange: (41) 3442-1016 – IAP Guaratuba; (41) 3422-8233 – IAP Paranaguá. O ICMBio Matinhos pode também atuar em ilícitos ambientais fora do Parque Nacional, se tal situação estiver, de alguma forma, causando algum dano ou impacto à referida UC (Unidade de Conservação).

Denúncias ambientais em geral: Polícia Ambiental Paranaguá – (41) 3420-9400; Polícia Ambiental Guaratuba – (41) 3443-6858

Galeria de Imagens:

Vista do aterro vegetal de Matinhos, com o PNSHL ao fundo. Foto: Arquivo PNSHL

Vista do aterro vegetal de Matinhos, com o PNSHL ao fundo. Foto: Arquivo PNSHL

Entulhos no aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Entulhos no aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

 

 

 

 

 

 

 

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

Aterro vegetal de Matinhos. Foto: Arquivo PNSHL

 

 

 

 

 

 

 

 

Operação conjunta ICMBio, IBAMA, IAP e Polícia Ambiental. Foto: Arquivo PNSHL

Operação conjunta ICMBio, IBAMA, IAP e Polícia Ambiental. Foto: Arquivo PNSHL

Pedaço de rede de pesca coletada no Parque Municipal da Lagoa do Parado. Foto: Arquivo PNSHL

Pedaço de rede de pesca coletada no Parque Municipal da Lagoa do Parado. Foto: Arquivo PNSHL

Galões plásticos com palmito-juçara semi-industrializado. Foto: BPAmb Guaratuba

Galões plásticos com palmito-juçara semi-industrializado. Foto: BPAmb Guaratuba

Empresa de materiais esportivos faz doação ao PNSHL

Equipamentos Quechua doados ao PNSHL. Foto: Arquivo PNSHL

Equipamentos Quechua doados ao PNSHL. Foto: Arquivo PNSHL

O coordenador do GreenVest-Brasil, Alexandre Lorenzetto, entregou ao chefe do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL), Rogério Florenzano Júnior, um conjunto de materiais e roupas da empresa francesa Quechua, no dia 30 de agosto, para apoiar a realização de trabalhos de campo na Unidade de Conservação. A doação ao parque brasileiro é a terceira feita pela marca na América Latina por intermédio do programa Parkswatch-GreenVest, que atua também em outros países da América Latina, como na Argentina e Bolívia.

Detentor de uma plataforma de crowdfunding (financiamento coletivo), o GreenVest tem por objetivo apoiar a gestão de unidades de conservação em países em desenvolvimento por meio de campanhas on-line de angariação de fundos e do monitoramento dos impactos de seu apoio no campo.  Trabalhando em parceria com organizações locais, especialistas em conservação da biodiversidade e gestores de áreas protegidas, o GreenVest identifica as necessidades de equipamentos e de serviços de cada unidade de conservação que participa do projeto e oferece aos visitantes do portal a oportunidade de contribuir para resolver problemas críticos de gestão por meio de doações direcionadas. O GreenVest adquire os bens e serviços financiados e os entrega aos parques beneficiários em coordenação com as respectivas autoridades.

Funcionário do parque utilizando os equipamentos doados. Foto: Arquivo PNSHL

Funcionário do parque utilizando os equipamentos doados. Foto: Arquivo PNSHL

Segundo Lorenzetto, a plataforma está recebendo os ajustes finais para ser lançada ao público e será dirigida ao doador individual, mas a equipe do GreenVest trabalha também na sensibilização de empresas potencialmente  doadoras, como a Quechua, que se interessou pela proposta e realizou doações.

A iniciativa pode ser conhecida na página http://www.greenvest.org e no vídeo http://vimeo.com/66390634

Contato de Alexandre Lorenzetto:  alorenzetto@parkswatch.org