Pesquisa avalia saúde de aves no PNSHL

Pesquisadores em atividade de campo no PNSHL

Identificar parâmetros de comparação entre a saúde das aves e o ambiente em que estas se encontram e reconhecer relações entre a atividade humana, as alterações climáticas e o bem estar das aves é o objetivo do estudo do Médico Veterinário José Carlos Roble Júnior, aluno de mestrado da Universidade Federal do Paraná. O trabalho começou em outubro de 2012 e é realizado em conjunto com o levantamento das espécies de aves que ocorrem no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL), do qual participam pesquisadores da UFPR vinculados ao Centro de Estudos do Mar e ao campus Palotina, além da equipe do Parque.

Pesquisa Saude Aves (1)Para permitir a padronização e comparação dos dados, o trabalho de José Carlos está dirigido a quatro espécies de aves: sabiá-coleira, tiê-da-mata, flautim e limpa-folha-coroado. A avaliação física consiste em um exame clínico do animal, coleta de ectoparasitas (carrapatos, piolhos) e coleta de sangue também para posterior identificação de hemoparasitas.

Em seu projeto, o pesquisador destaca a importância do estudo para preencher lacunas de informações sobre parasitas de aves da região de mata atlântica e para enriquecer a discussão com relação a influência das atividades humanas e do clima sobre a saúde das aves, iniciado em 2010 pelo Médico Veterinário Paulo Mangini, que estudou a questão em vilas de pescadores no litoral paranaense. Mangini observou impactos de origem antrópica (humana) sobre a distribuição e a diversidade de aves florestais, demonstrando a existência de uma correlação entre diferentes graus de urbanização, carga parasitária e estado de saúde destas aves. A pesquisa no PNSHL e em seu entorno trará informações sobre outro tipo de ambiente florestal e diferentes atividades humanas, ampliando o diagnóstico da situação, já que as áreas amostradas incluem matas próximas a atividades agrícolas, pecuária, piscicultura, mineração e zona urbana, além de duas áreas controle, dentro da Unidade de Conservação.

Para Beatriz Gomes, médica veterinária e analista ambiental do PNSHL, estudos como este são importantes para que se tenha a real dimensão da influência que as atividades humanas exercem sobre a saúde dos animais silvestres, especialmente daqueles que vivem na fronteira entre a floresta e as zonas rural e urbana.  Para a gestão do Parque, a pesquisa contribuirá com informações importantes para a elaboração do Plano de manejo, qualificando o planejamento e a adoção de estratégias de conservação das aves em conjunto com as atividades econômicas do entorno.

PNSHL abre processo seletivo para vaga em função administrativa.

A administração do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange iniciou o processo seletivo para preenchimento de uma vaga de secretário(a). A contratação será feita por meio de uma empresa terceirizada prestadora de serviços ao ICMBio. Interessados(as) devem enviar Curriculum Vitae até dia 20 de março para o e-mail parnashl.pr@icmbio.gov.br colocando no campo de assunto: “Vaga para apoio administrativo”.

Local de trabalho: Rua das Palmeiras, 170 – Caiobá – Matinhos/PR

Carga Horária: 40 horas semanais, distribuídas em horário comercial, de 2ª a 6ª feira.

Salário bruto: R$ 1.447,32

Benefícios: Vale Transporte e Vale Alimentação.

Início da atividade: 02 de maio

Atividades do cargo:

  • Atendimento ao público (contato pessoal, telefônico e por e-mail)
  • Gestão de documentos em sistema informatizado
  • Redação de documentos (ofícios, memorandos, etc)
  • Recebimento e expedição de correspondências
  • Relatoria de reuniões
  • Organização de arquivos
  • Controle de almoxarifado
  • Levantamento de orçamentos e cotações

Perfil desejado:

  • Capacidade de organização
  • Iniciativa
  • Pontualidade
  • Cordialidade
  • Comprometimento
  • Paciência
  • Disposição para aprender

Conhecimentos necessários:

  • Informática básica – Processadores de textos; planilhas e tabelas; uso de internet
  • Língua Portuguesa

Vistorias para revisão dos limites do PNSHL entram na reta final

Coordenados pelo Analista Ambiental Luiz Francisco Faraco, os trabalhos de campo relacionados à revisão dos limites do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL) devem se encerrar na próxima semana com visitas às comunidades de Fincão, Caçadas e Rio dos Meros, no município de Guaratuba. Para chegar a esta região, situada na parte sudoeste do Parque, o acesso por terra é difícil e demorado e a equipe de vistorias optou pelo deslocamento pela Baía de Guaratuba, contando com o apoio de embarcações do Escritório do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em Guaratuba e do Batalhão de Polícia Ambiental.

Vistoria em comunidade rural próxima ao imite do PNSHL.A nova rodada de vistorias teve início em maio de 2012 para atender à solicitação da Coorenadoria Jurídica do Ministério do Meio Ambiente quanto à complementação das análises feitas anteriormente (para saber mais sobre o processo de revisão dos limites, clique aqui). Nos últimos dez meses foram visitadas todas as áreas próximas ao limite do PNSHL estabelecido pela Lei n° 10.227/2001, para identificação das formas de ocupação e/ou uso, com registro fotográfico e georreferenciamento das informações. A partir deste estudo será elaborado um mapa com a proposta de adequação dos limites e uma Nota Técnica que justificará a exclusão ou a manutenção de cada área ocupada, seguindo os critérios indicados no Artigo 2º da lei de criação do PNSHL, porém sem prejudicar os objetivos que constam no Artigo 1º da mesma lei.

Antes do retorno do processo à Coordenação de Criação de Unidades de Conservação do ICMBio, as informações e mapas serão apresentados ao Conselho Consultivo em uma reunião extraordinária.

ICMBio e Clube Paranaense de Montanhismo realizam Curso de Sinalização de Trilhas

Curso de Sinalização de Trilhas no Paraná

A parceria entre o Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL) e o Clube Paranaense de Montanhismo (CPM) – os quais desenvolvem um trabalho conjunto para o mapeamento, sinalização e manutenção de trilhas na Serra da Prata, no PNSHL – rendeu mais um fruto. Nos dias 23 e 24 de fevereiro foi realizado o curso teórico-prático de Sinalização de Trilhas, tendo como ministrante Pedro de Castro da Cunha e Menezes, Diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (DIMAN-ICMBio).

O objetivo do curso foi divulgar ao público montanhista do Paraná as técnicas de sinalização que estão sendo adotadas pelo ICMBio em suas Unidades de Conservação (UCs). Estas técnicas são baseadas em experiências internacionais bem sucedidas e adaptadas para a realidade brasileira.

O curso foi dividido em duas partes. A teórica, realizada na sede do CPM, em Curitiba, e a prática, executada na Trilha do Mãe Catira-Morro Sete, na Serra da Graciosa, munícipio de Quatro Barras. Durante a aula teórica, foram abordados os seguintes temas: teoria geral de sinalização; modelos de sinalização de trilhas em diversos países do mundo; por que, como e onde sinalizar; uso de cores, texturas, textos, ícones e símbolos. Já a parte prática, realizada ao longo de todo o dia seguinte, consistiu em implantar a sinalização por meio de setas pintadas nos troncos das árvores que margeavam a trilha e, na ausência destas, em pedras. Setas amarelas foram pintadas no sentido do cume do morro, e setas brancas no sentido do retorno.

Durante o curso, Pedro Menezes comentou sobre as experiências com trilhas de longo curso que já são uma tradição em países da Europa e nos Estados Unidos, com percursos que atravessam diferentes estados ou países. No Brasil, estão sendo implantadas as primeiras iniciativas deste gênero, citando como exemplo a Trilha Transcarioca (RJ) que está sendo sinalizada, cortando UCs federais, estaduais e municipais. A política atual de uso público do ICMBio tem apostado no grande potencial das trilhas em áreas protegidas, como já ocorre em boa parte do mundo, para trazer benefícios tanto às UCs quanto à sociedade. Para isso o Instituto tem realizado inúmeras capacitações e incentivado os técnicos e parceiros das UCs a efetivar ações em prol das trilhas.

Houve a participação de 25 pessoas durante o curso: montanhistas do Clube Paranaense de Montanhismo, da Associação Montanhistas de Cristo e da Federação Paranaense de Montanhismo e de servidores do ICMBio dos Parques Nacionais de Saint-Hilaire/Lange, do Superagui e da Serra do Itajaí. Os três Parques Nacionais já desenvolvem ou iniciarão o trabalho com sinalização de trilhas em suas unidades, e os servidores tiveram a oportunidade de conversar amplamente com o diretor da DIMAN sobre a situação das trilhas em suas UCs.

Ao final do curso, em um relato pessoal, Marcelo Brotto, montanhista do CPM, declarou: “em nome dos montanhistas presentes agradeço ao Pedro de Castro da Cunha e Menezes pela disponibilidade e pela qualidade do curso ministrado. Foi uma oportunidade única de ouvir uma autoridade do ICMBio que acredita na ‘conservação pelo uso’ e que enxerga os montanhistas como aliados para o sucesso das Unidades de Conservação”.

Para a administração do PNSHL, a realização deste evento, de forma conjunta, fortalece a parceria que existe entre as duas instituições e reforça a proposta do ICMBio em envolver a sociedade na gestão das Unidades de Conservação.

Você pode ver mais fotos do curso em nossa página do Facebook, clicando aqui.

 

Foto-Rodrigo TorresFoto - Getulio Rainer Vogetta_5

Foto - Getulio Rainer Vogetta_2

Foto - Getulio Rainer VogettaFoto - RodrigoTorres

 

Foto_Getulio Rainer Vogetta