Fauna

O Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL) possui uma fauna típica da Mata Atlântica da Serra do Mar do sul do Brasil, composta principalmente por espécies de pequeno e médio porte, adaptadas ao ambiente fechado da floresta. Em uma simples caminhada não é comum visualizar os animais, especialmente os mamíferos. As aves podem ser percebidas pelo canto, principalmente nas horas mais frescas do dia, pela manhã ou no final da tarde. Porém não é raro encontrar, nas trilhas, rastros e outros vestígios dos animais, como pelos, penas e fezes, ou observar ninhos nas árvores.

Os ninhos de guache (Cacicus haemorrhous) são construídos nas pontas dos galhos para evitar o ataque de predadores. Foto: Rodrigo F. Torres

B. izecksohni – Foto L.F. Ribeiro

Devido à situação geográfica do Parque – um maciço relativamente isolado e que apresenta grande variação de altitude – é elevada a probabilidade de ocorrência de espécies endêmicas (que vivem apenas em uma determinada região). Uma delas foi descoberta em 2005: o “sapinho da montanha” Brachycephalus izecksohni, que vive no chão da floresta, em meio as folhas caídas, somente nas porções mais elevadas da Serra da Prata. O resultado do trabalho de desenvolvido por Ribeiro na Serra do Mar paranaense, que culminou na descoberta desta espécie pode ser acessado a partir da página Pesquisa Científica deste blog.

Proteção para espécies ameaçadas

No Parque são encontradas, pelo menos, doze espécies que figuram na Lista de Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, publicada pelo Ministério do Meio Ambiente em 2003 (IN 03/2003). São três mamíferos e nove aves:

Esta lista aumenta quando são consideradas as espécies ameaçadas em âmbito estadual que têm ocorrência comprovada ou presumida no PNSHL, conforme o Livro Vermelho de Fauna Ameaçada no Estado do Paraná, publicado em 2004, detalhando a  Lista de Espécies Animais Ameaçadas de Extinção no Paraná (Decreto Estadual nº 3148/2004, Anexo II):

Amplo campo para pesquisas

Ainda há poucos estudos específicos sobre a fauna da Serra da Prata. Atualmente, dez trabalhos de pesquisa autorizados pelo ICMBio possuem licença válida para o PNSHL, sendo quatro sobre invertebrados, dois sobre peixes e quatro sobre anfíbios (três deles envolvendo a espécie endêmica B. izecksohni). A Unidade de Conservação carece de inventários faunísticos (estudos que identificam as espécies que ocorrem na área), que fornecem informações importantes para a elaboração do Plano de Manejo. Buscando reduzir a falta de dados, a equipe do Parque iniciou, em 2011, um levantamento de anfíbios, que deverá ser estendido em 2012 para o grupo dos répteis. Clique aqui e acesse a postagem sobre esse trabalho. Para suprir a demanda de informações sobre outros grupos de vertebrados, a administração do PNSHL desenvolverá, ao longo de 2012, novos projetos de pesquisa com recursos oriundos do ICMBio e em parceria com instituições de pesquisa do Paraná. As pesquisas abrangerão levantamentos de serpentes e aves, além do estudo da ecologia de lontras.

Entretanto, grandes lacunas de conhecimento permanecem e a administração da UC continua aberta a novas propostas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: