Pesquisa avalia saúde de aves no PNSHL

Pesquisadores em atividade de campo no PNSHL

Identificar parâmetros de comparação entre a saúde das aves e o ambiente em que estas se encontram e reconhecer relações entre a atividade humana, as alterações climáticas e o bem estar das aves é o objetivo do estudo do Médico Veterinário José Carlos Roble Júnior, aluno de mestrado da Universidade Federal do Paraná. O trabalho começou em outubro de 2012 e é realizado em conjunto com o levantamento das espécies de aves que ocorrem no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL), do qual participam pesquisadores da UFPR vinculados ao Centro de Estudos do Mar e ao campus Palotina, além da equipe do Parque.

Pesquisa Saude Aves (1)Para permitir a padronização e comparação dos dados, o trabalho de José Carlos está dirigido a quatro espécies de aves: sabiá-coleira, tiê-da-mata, flautim e limpa-folha-coroado. A avaliação física consiste em um exame clínico do animal, coleta de ectoparasitas (carrapatos, piolhos) e coleta de sangue também para posterior identificação de hemoparasitas.

Em seu projeto, o pesquisador destaca a importância do estudo para preencher lacunas de informações sobre parasitas de aves da região de mata atlântica e para enriquecer a discussão com relação a influência das atividades humanas e do clima sobre a saúde das aves, iniciado em 2010 pelo Médico Veterinário Paulo Mangini, que estudou a questão em vilas de pescadores no litoral paranaense. Mangini observou impactos de origem antrópica (humana) sobre a distribuição e a diversidade de aves florestais, demonstrando a existência de uma correlação entre diferentes graus de urbanização, carga parasitária e estado de saúde destas aves. A pesquisa no PNSHL e em seu entorno trará informações sobre outro tipo de ambiente florestal e diferentes atividades humanas, ampliando o diagnóstico da situação, já que as áreas amostradas incluem matas próximas a atividades agrícolas, pecuária, piscicultura, mineração e zona urbana, além de duas áreas controle, dentro da Unidade de Conservação.

Para Beatriz Gomes, médica veterinária e analista ambiental do PNSHL, estudos como este são importantes para que se tenha a real dimensão da influência que as atividades humanas exercem sobre a saúde dos animais silvestres, especialmente daqueles que vivem na fronteira entre a floresta e as zonas rural e urbana.  Para a gestão do Parque, a pesquisa contribuirá com informações importantes para a elaboração do Plano de manejo, qualificando o planejamento e a adoção de estratégias de conservação das aves em conjunto com as atividades econômicas do entorno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: