Vem aí a 2ª Caminhada na Natureza – Circuito Serra da Prata

Folder_Caminhada

No dia 24 de julho de 2016 acontecerá a 2º Caminhada na Natureza – Circuito Serra da Prata, com largada prevista para às 8h do barracão de eventos da igreja católica da Colônia Maria Luiza, área rural do município de Paranaguá.
A Caminhada na Natureza – Circuito Serra da Prata é fruto de esforços de agricultores residentes nas Colônias no entorno da PR-508 (Quintilha, Maria Luiza, Pereira, Santa Cruz, Morro Inglês e São Luiz), em conjunto com diversas instituições, entre elas, o ICMBio – Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL). O evento tem como premissa possibilitar um dia inesquecível para os visitantes, para que estes possam contemplar as belezas, os sabores e os saberes do entorno da Serra da Prata, protegida pelo Parque Nacional.
Em 2015 a Caminhada contou com a participação de mais de 700 caminhantes e em 2016 a expectativa é de superar este número.
Neste ano o circuito foi ampliado de 9,5 km para 11,5 km e, como no ano anterior, a equipe do PNSHL preparou placas de identificação de espécies que estarão espalhadas pelo percurso com informações sobre plantas da região.
Além disso, será servido um café da manhã especial com bolos, tortas, queijos, doces, geléias, café e leite de produtores da região a partir das 7h da manhã, e um almoço preparado pela associação dos agricultores com direito a galinha caipira, nhoque de aipim, aipim frito, macarrão, arroz e saladas, que será servido a partir das 11h.
Mais uma vez o evento contará com música ao vivo para deixar o ambiente ainda mais descontraído.
Recomenda-se que os participantes usem roupas leves, tênis confortável e boné, tragam repelente, guarda-chuva e garrafa com água, que obedeçam as placas de sinalização, não entrem nos rios, não caminhem fora do trajeto e ao compartilhar fotos nas redes sociais, utilizem a hashtag #SERRAdaPRATA.
Para saber como chegar, ver o mapa do percurso, inscrever-se e consultar outras informações, acesse: http://www.circuitoserradaprata.com.br.

Autor: Rodrigo Felizardo, com informações de Osni Arturo (Motirõ Sociedade Cooperativa)

1º Caminhada na Natureza – Circuito Serra da Prata acontecerá no dia 26 de julho

caminhada-serra-da-prata

Com o objetivo de estimular o turismo rural e em comemoração ao aniversário de Paranaguá, a Associação dos Produtores Rurais de Paranaguá (APRUMPAR) realizará no dia 26 de julho de 2015 a Caminhada na Natureza – Circuito Serra da Prata, que envolverá diretamente duas comunidades agrícolas que estão no entorno do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL): Colônia Quintilha e Colônia Maria Luiza. Outras colônias envolvidas no evento, são: Pereira, Santa Cruz, Morro Inglês e São Luiz. O Parque Nacional/ICMBio é um dos apoiadores da iniciativa, juntamente com diversas outras instituições.

Com largada prevista para às 9h e 10 km de percurso, os participantes poderão observar durante o trajeto: cachoeira, ruínas de antigo alambique, farinheira típica, antiga igreja católica de madeira, além da fantástica paisagem da Serra da Prata, protegida pelo Parque Nacional.
O local onde se dará o início e o término da caminhada será o barracão de eventos da igreja católica da colônia Maria Luiza, onde será servido café da manhã e almoço típicos nos valores de R$8,00 e R$20,00, respectivamente. Além disso, haverá no espaço a comercialização de pães, bolos, compotas, frutas, hortaliças e artesanato.

A ideia é oportunizar geração de renda e emprego aos pequenos produtores do município e, futuramente, realizar a caminhada nas demais colônias produtoras de Paranaguá.
Para saber como chegar, ver o mapa do percurso, inscrever-se e consultar outras informações, acesse: http://www.circuitoserradaprata.com.br.

Autor: Rodrigo Felizardo

Conselho Consultivo comemora os 12 anos do PNSHL com dia de palestras

A pauta da reunião privilegiou a apresentação de trabalhos que estão sendo desenvolvidos nas comunidades do entorno do Parque Nacional

A pauta da reunião privilegiou a apresentação de trabalhos que estão sendo desenvolvidos nas comunidades do entorno do Parque Nacional

Realizada na última quinta feira, 23 de maio, a 14ª Reunião Ordinária do Conselho Consultivo do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange teve uma pauta especial em comemoração aos 12 anos de criação da Unidade de Conservação. Os assuntos relativos ao funcionamento do Conselho e à gestão do Parque  foram concentrados no início, tomando apenas 90 minutos dos trabalhos. A partir das onze horas foram realizadas palestras sobre temas de interesse do colegiado, seguindo as indicações do Plano de Ação do Conselho para o biênio 2012-2013. As apresentações foram realizadas pelos membros do Conselho ou por convidados por eles indicados e trataram, principalmente, de trabalhos que estão sendo realizados no entorno do Parque e novas propostas para beneficiar a região.

O Gerente Regional da EMATER, Marcos de Oliveira foi o primeiro a falar e apresentou o Programa de Gestão de Águas, Solos e Biodiversidade em Microbacias Hidrográficas, destacando as microbacias litorâneas que serão alvo do programa. Em seguida, Leoclides Lazzarotto, um dos representantes da EMATER no Conselho Consultivo, explicou sobre as atividades e propostas do Plano de Ação da Microbacia Rio das Pombas, que abrange o PNSHL e as comunidades Quintilha, Colônia Maria Luiza e Colônia Pereira. O programa é dirigido aos agricultores familiares da região e tem o objetivo de melhorar a quantidade e qualidade da água no manancial do rio das Pombas, um dos principais do litoral paranaense. Finalizando os trabalhos da manhã, o engenheiro agrimensor da Prefeitura de Paranaguá, Sr. Luiz Affonso da Silveira, apresentou brevemente alguns aspectos legais sobre regularização fundiária urbana e rural.

No período da tarde, os trabalhos foram iniciados com a palestra sobre sistemas de cultivo agroflorestais intitulada Transição Agroecológica para o Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange, feita pelo Conselheiro Carlos Eduardo Seoane, representante da EMBRAPA-Florestas. Em seguida, a conselheira Juliana Melchiori, representante da Cooperativa Motirõ, apresentou o trabalho que vem sendo desenvolvido com moradores do entorno do PNSHL na região da rodovia PR-508 e que visa o fortalecimento da agroindústria de base familiar na região: o Projeto SAL – Sistema Agroalimentar Localizado. Depois foi a vez do Professor Francisco Xavier, do Instituto Superior do Litoral do Paraná (ISULPAR), em Paranaguá, que apresentou dois temas de interesse dos presentes: o Projeto de Rede de água da Comunidade Santa Cruz, Paranaguá, que propõe soluções para o fornecimento de água da parte da Colônia Santa Cruz situada na planície, próxima à rodovia PR-508, que foi interrompido em 2011 em consequência dos deslizamentos de terra que afetaram a captação que abastecia aquela localidade; e o Projeto Alternativo de Saneamento da Ilha do Mel, apresentado como proposta a ser implantada nas comunidades rurais do entorno do Parque.

Vita encerrou o evento com palestra sobre a Serra da Prata

Vita encerrou o evento com palestra sobre a Serra da Prata

A palesta de encerramento coube ao Conselheiro Henrique Paulo Schmidlin, o “Vitamina”, ilustre montanhista paranaense e um dos que traçou, em 1966, o caminho atualmente usado para atingir o cume da Serra da Prata. “Vita” fez uma rica apresentação sobre aspectos históricos e curiosidades sobre a ocupação da região litorânea do Estado, tendo como pano de fundo a Serra da Prata.

No salão de reunião foram afixados posters com informações sobre alguns dos trabalhos de pesquisa desenvolvidos no PNSHL pela equipe gestora, pesquisadores colaboradores e também por alunos da UFPR-Litoral.

SAL da terra: projeto apoia a agroindústria familiar no entorno do PNSHL

Equipe da Motirõ conversa com agricultores. Foto: Juliana Melchiori/Motirõ

Equipe da Motirõ conversa com agricultores. Foto: Juliana Melchiori/Motirõ

Agricultores que trabalham no entorno, ou mesmo no interior do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange (PNSHL), estão participando de um projeto, desenvolvido pela cooperativa Motirõ, que visa organizar a atividade agroindustrial. O projeto, denominado “Sistema Agroalimentar Localizado: o tempero para construção de conhecimento e empoderamento das agroindústrias familiares na zona rural do município de Paranaguá”, ou simplesmente “Projeto SAL”, irá trabalhar diretamente com 15 agroindústrias familiares, localizadas no entorno da rodovia PR 508 e do PNSHL, no município de Paranaguá.

Produtos da agroindústria familiar fabricados no entorno do PNSHL. Foto: Juliana Melchiori/Moritõ

Produtos da agroindústria familiar fabricados no entorno do PNSHL. Foto: Juliana Melchiori/Moritõ

Juliana Melchiori, da Motirõ, explica que “em um período de dois anos, os agricultores terão a possibilidade de ampliar a geração de trabalho e renda na região, por meio de ações que permitem um aprimoramento na gestão e planejamento de suas pequenas agroindústrias”. O projeto elaborado pela Motirõ foi aprovado pela Petrobrás em 2012, porém os recursos estão sendo liberados somente agora, após a conclusão dos trâmites burocráticos. Desde o início da proposta o PNSHL se dispôs a participar como instituição parceira, colocando à disposição a equipe técnica e a base de dados.

Vista do PNSHL em propriedade de agricultor. Foto: Renata Sembay/Motirõ

Vista do PNSHL em propriedade de agricultor. Foto: Renata Sembay/Motirõ

Juliana destaca também “a importância da parceria entre a cooperativa e o grupo gestor do parque, para que juntos possamos, além de conservar um dos últimos refúgios de Mata Atlântica que favorece a sobrevivência de espécies altamente especializadas, gerar trabalho e renda às populações localizadas no entorno do Parque, valorizando e potencializando a qualidade dos produtos oriundos dos agricultores familiares da região”. Esta parceria, entretanto, vai além dos projetos: a Motirõ é uma das organizações não governamentais que tem assento no Conselho Consultivo do Parque.

Motirõ

No linguajar tupi-guarani, MOTIRÕ representa a união de pessoas que, em comunhão, buscam atingir determinado objetivo.

A Motirõ Sociedade Cooperativa é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2009 no município de Matinhos, Litoral Paranaense. Por meio da execução de projetos, tem por objetivo desenvolver junto com as comunidades litorâneas o empoderamento e a organização dessas populações e do ambiente em que estão inseridas, tanto urbano quanto rural, de modo a otimizar a interação entre ser humano-ambiente. Vale ressaltar que o cenário em que a cooperativa se encontra apresenta um rico patrimônio histórico e cultural e uma das maiores diversidades biológicas do planeta, ao mesmo tempo, possui um dos mais baixos índices de desenvolvimento humano do país, alta concentração de renda, elevada taxa de desemprego, entre outras problemáticas da atualidade que são agravadas no local devido as suas especificidades.

Atualmente, dois projetos da cooperativa estão com financiamento aprovado:

  • pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) no programa de extensão “Universidade Sem Fronteiras” o projeto: “Redes de comercialização: consolidando vínculos entre agricultores (as) e consumidores (as) de produtos agroecológicos no litoral do Paraná” (www.redesdecomercialização.motiro.org) e
  • pela Petrobrás o projeto “Sistema Agroalimentar Localizado: o tempero para construção de conhecimento e empoderamento das agroindústrias familiares na zona rural do município de Paranaguá” (www.sal.motiro.org).

Texto: Juliana Melchiori/Motirõ e Beatriz Gomes/PNSHL