Pesquisas no PNSHL revelam dados inéditos sobre os pequenos mamíferos da região subtropical da Mata Atlântica

Roedor do gênero Akodon recebeu marcação em projeto de pesquisa no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange. Foto: Cassio Mochi Junior

Roedor do gênero Akodon recebeu marcação em projeto de pesquisa no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange. Foto: Cassio Mochi Junior

Texto: Cássio Marcelo Mochi Júnior e Liliani Tiepolo

Os pequenos mamíferos não-voadores (roedores e marsupiais) são importantes constituintes da fauna. São ótimos dispersores de sementes e indicadores do estado de conservação de ambientes, exercendo inúmeras funções ecológicas. Uma das maneiras de estudá-los é por meio de métodos de captura, utilizando-se de armadilhas de diferentes tipos e tamanhos.

Roedor capturado em armadilha usada na pesquisa. Foto: Péricles A. Santos

Roedor capturado em armadilha usada na pesquisa. Foto: Péricles A. Santos

Devido a grande riqueza de espécies, são animais de difícil identificação e por isso o conhecimento sobre esta importante fauna é ainda insuficiente em todo o Brasil. Isto se reflete no prognóstico que se faz das espécies em relação ao seu estado de conservação e aos diferentes impactos que sofrem suas populações e comunidades devido às alterações, mesmo que mínimas, nas paisagens e nos ecossistemas.  Este é o caso da Mata Atlântica, um dos biomas mais ricos e biodiversos do planeta e que atualmente se caracteriza pela grande alteração que sofreu em séculos de exploração, degradação e fragmentação dos seus habitats.

Apesar do acúmulo de pesquisas sobre os pequenos mamíferos observado nas duas últimas décadas na América do Sul, informações sobre estes grupos na área de ocorrência da Mata Atlântica Subtropical continuam escassas e pontuais. Visando suprir esta lacuna do conhecimento o projeto de pesquisa intitulado “Composição taxonômica da fauna de pequenos mamíferos não-voadores em diferentes ambientes da Mata Atlântica Costeira do Paraná” de autoria do biólogo e estudante do Curso de  Mestrado em Zoologia, Cássio Marcelo Mochi Junior, orientado pela Dra. Liliani Tiepolo, professora do Setor Litoral e do Programa de Pós-graduação em Zoologia da Universidade Federal do Paraná, e co-orientado pela Dra. Íris Hass, do Departamento de Genética da UFPR, está sendo desenvolvido no Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange, no litoral sul do Paraná.

A marcação dos animais é feita com um brinco metálico. Foto: Liliani Tiepolo

A marcação dos animais é feita com um brinco metálico. Foto: Liliani Tiepolo

Até o momento foram realizadas 4 fases de campo, onde foram capturados 163 exemplares, sendo que 90 foram marcados com brincos e soltos para estudos populacionais. Alguns foram coletados para investigações citogenéticas e morfológicas que são realizadas nos Laboratórios de Biodiversidade e Conservação e Laboratório de Citogenética Animal da UFPR. Até o momento já foram identificadas 15 espécies de roedores e marsupiais em altitudes que variaram entre 32 e 160 metros, riqueza considerada alta pelo esforço amostral até o momento empreendido. Destacam-se novas ocorrências de espécies para o litoral, novos limites de distribuição para espécies que só eram conhecidas até a região de Guaraqueçaba, no litoral norte do Paraná e novos casos de simpatrias entre as espécies. A pesquisa será concluída em fevereiro de 2014 e seus resultados vão integrar o plano de manejo da Unidade de Conservação, em execução.

A escolha deste parque se deu devido à completa ausência de informações sobre pequenos mamíferos na Serra da Prata, quase integralmente incorporada nos limites do parque; por ser uma unidade de conservação que possui gestão ambiental atuante; por contemplar diversas fitofisionomias da floresta ombrófila densa; e por contar com uma equipe de apoio tanto do parque nacional, quanto de estudantes da UFPR (dos cursos de Gestão Ambiental e Mestrado em Zoologia) e da UNESPAR (Curso de Biologia). Os gestores do parque oferecem apoio logístico e disponibilizam analistas ambientais e voluntários, sem os quais o trabalho seria inviável.

Parte da equipe de pesquisadores e Analista Ambiental do PNSHL durante uma das etapas de campo. Foto: Péricles A. dos Santos

Anúncios

2 Respostas

  1. Bom trabalho desses garotos, fico feliz de participal indiretamente…..conte comigo

  2. Parabéns Como sempre um bom trabalho!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: