Levantamento de répteis conclui segunda fase de campo com bons resultados

Os biólogos André Penteado e Luciano Plombon concluíram, no último dia 13, a segunda campanha de coleta de dados de campo sobre a Ordem Squamata (parte dos répteis que inclui lagartos e cobras), que integra o projeto de pesquisa intitulado “Anuros e Squamata do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange”.

Biólogos manejam uma jararacuçu

A pesquisa foi iniciada no mês de outubro e cada etapa de campo tem a duração de oito dias. As atividades incluem o uso de armadilhas instaladas no interior do Parque, busca ativa na  floresta e busca de animais nas margens e no leito da rodovia PR 508. Os animais vivos são capturados e transportados até a sede do Parque, onde são medidos e examinados para identificação do sexo, sendo devolvidos ao local de captura no dia seguinte.

Na opinião dos pesquisadores, os resultados vêm surpreendendo: “estamos com uma lista de 18 espécies de répteis, somando 48 indivíduos”, explicam André e Luciano. E acrescentam: das espécies que podemos destacar estão aquelas que precisam de ambientes florestais relativamente bem preservados para a sua sobrevivência: as cobras-cipós (Chironius bicarinatus, Chironius exoletus, Chironius foveatus, Chironius fuscus) e os lagartos Enyalius iheringii (papa-vento, iguaninha, camaleãozinho) e Placosoma glabellum.

Outra espécie que merece destaque é a cobra d’água (Erythrolamprus miliaris). Por ser uma serpente abundante, é a que mais sofre com atropelamentos na PR-508 (Alexandra-Matinhos): totalizando 12 indivíduos encontrados atropelados nos monitoramentos realizados em outubro e novembro. Também integram a lista de espécies do Parque, algumas com potencial para causar acidentes ofídicos: jararaca (Bothrops jararaca), jararacuçu (Bothrops jararacussu) e coral-verdadeira (Micrurus corallinus). Essas espécies estão sujeitas a grande pressão humana devido ao medo generalizado de cobras, que parte da população tem e acaba por matá-las indiscriminadamente.  O medo também faz vítimas as cobras que não são peçonhentas mas se parecem com as que são, como as das espécies Xenodon neuwiedii (jararaquinha) e Sibynomorphus neuwiedii (dormideira), confundidas com a jararaca e a jararacuçu;  e Oxyrhopus clathratus e Erythrolamprus aesculapii, ambas confundidas com a coral-verdadeira.

A partir da esquerda: Lagarto papa-vento (E. iheringii), cobra d’água (E. miliaris) e um indivíduo jovem de jararaca (B. jararaca). Fotos: André Penteado

A ideia inicial é que a pesquisa crie subsídios para o Plano de Manejo do Parque  e dê origem a um guia ilustrado com os répteis e seus hábitos, colaborando assim para identificação das espécies por parte de leigos e especialistas que venham a trabalhar na região e contribuindo na sua conservação. O projeto foi aprovado pela Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade do ICMBio e recebe recursos orçamentários do próprio Instituto e do Projeto BRA/08/023 – Conservação da Biodiversidade e Promoção do Desenvolvimento Socioambiental, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Além dos biólogos, participam das atividades membros da equipe do PNSHL e estudantes universitários dos cursos de Biologia e Gestão Ambiental.

Os estudos ligados aos répteis preveem mais duas etapas de coleta nos meses de verão, época em que as serpentes estão em maior atividade e em período de reprodução. Contudo, ressaltam os pesquisadores, seria essencial que a pesquisa tivesse continuidade de, pelo menos, três anos para um melhor conhecimento da fauna de répteis e suas relações com o ambiente.

Colaboraram no texto: André E. Penteado e Luciano Plombon
Fotos: Rogério Florenzano Júnior e André E. Penteado

2 Respostas

  1. Realmente a pesquisa é uma atividade que exige longo prazo, para que os resultados se apresentem de forma completa e não em etapas fragmentadas. Mas pelo menos essa parte foi feita e já ajuda muito.

  2. muito bom gostei, tem que ter mas prevenção das serpentes para as mesmas não entrarem em instição pelos caçadores e matadores.
    Faço biologia e quero entrar nessa área com Repteis principalmente as serpentes…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: