Ornitólogos registram mais de 130 espécies de aves no PNSHL

Em apenas três dias de atividades, os ornitólogos que fazem parte da equipe do projeto de pesquisa sobre avifauna no PNSHL identificaram mais de 130 espécies de aves no interior e no entorno da Unidade de Conservação. Entre elas, três espécies consideradas ameaçadas de extinção: Maria-da-restinga (Phylloscartes kronei), presente tanto na lista nacional quanto na lista estadual de espécies em perigo; Aracuã (Ortalis guttata) e Sabia-cica (Triclaria malachitacea), citadas na lista de espécies ameaçadas do Paraná.

Maria-da-restinga (Phylloscartes kronei), espécie ameaçada de extinção encontrada no PNSHL. Foto: Rubens Matsushita

A pequena expedição fez parte da Reunião Técnica, realizada no mês de abril entre os analistas ambientais do Parque e pesquisadores colaboradores do projeto, com o objetivo de acertar detalhes metodológicos e identificar os locais de amostragem da pesquisa. A metodologia utilizada nesta etapa consistiu apenas do registro de vocalizações (canto) e da visualização das aves, enquanto o grupo percorria diversos pontos do Parque e da região vizinha para escolher os melhores locais para instalação das redes de neblina nas futuras etapas de campo, quando as aves serão capturadas, anilhadas e, em seguida, soltas.

Beija-flor-cinza (Aphantochroa cirrochloris) – Foto: André E. Penteado

A quantidade e variedade de espécies que foi observada em uma atividade rápida, que não tinha o objetivo principal de fazer o levantamento das aves de cada local, demonstra a importância do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange na conservação da biodiversidade da Mata Atlântica do litoral paranaense e sugere o grande potencial da região para desenvolvimento do ecoturismo, com destaque para a atividade de observação de aves.

Tangará-dançarino (Chiroxiphia caudata) – Foto: Leonardo Milano

O Projeto, intitulado Levantamento da avifauna em áreas com tipos distintos de uso e em áreas íntegras do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange, faz parte do diagnóstico que está sendo realizado pelo ICMBio para elaboração do Plano de Manejo do Parque. A execução do projeto foi aprovada pela Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (DIBIO) e conta com recursos orçamentários do Instituto. O trabalho é coordenado por Rodrigo Torres, analista ambiental do PNSHL, e conta com a participação de pesquisadores colaboradores de diferentes universidades paranaenses: os ornitólogos Luiz Augusto Mestre, da UFPR campus Palotina, e Ricardo Krul, do Centro de Estudos do Mar da UFPR e a bióloga Naiara Fortes, estudante de especialização na PUC-PR.

Capitão de saíra (Attila rufus) – Foto: Andre E. Penteado

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: